quarta-feira, 18 de março de 2009

Aonde estão os craques de 90?

Em 1990 a seleção alemã de futebol conquistou a Copa do Mundo realizada na Itália.

A campanha da nationalelf foi fantástica. Os panzers golearam Emirados Árabes e Iuguslávia na primeira fase, além de empatar com a Colômbia, quando a equipe já estava classificada.

Depois, a Alemanha passou pela Holanda, República Tcheca e Inglaterra.

Na final, com um gol de pênalti aos 40 minutos do segundo tempo marcado por Andreas Brehme, os comandados do técnico Franz Beckenbauer levantaram a taça frente à seleção argentina.

Nesta matéria, relato o que fazem agora os inesquecíveis jogadores daquela seleção.

Bodo Illgner
Após a Copa do Mundo, o goleiro Bodo Illgner continuou defendendo o Colônia até 1996.

Depois, Illgner se transferiu para o Real Madrid, onde conquistou a Liga dos Campeões da Europa de 1998. Um ano depois, perdeu a posição de titular para o jovem Iker Casillas e se aposentou em 1999.

Illgner continuou morando na Espanha e trabalhou como comentarista para o canal Premiere. Tempos depois o goleiro mudou-se para Miami, onde vive até hoje.

Andreas Brehme
Brehme foi o autor do gol que deu o título da Copa do Mundo para a Alemanha.

Depois da Copa do Mundo se transferiu para a Inter de Milão, onde ficou por duas temporadas. Em 1993 se transferiu para o Zaragoza e logo depois voltou para a Alemanha para defender o Kaiserslautern.

Pelos Red Devils, conquistou a Bundesliga em 1998.

Agora Brehme trabalha como embaixador da federação alemã, envolvido em projetos para crianças carentes em seu país.

Juergen Koehler
Após a Copa do Mundo se transferiu para a Juventus de Turin. Pela "Velha Senhora", conquistou a Série A em 1995 e a Copa da Uefa em 1993.

Retornou para a Alemanha, onde pelo Borussia Dortmund, conquistou um título da Bundesliga e a Liga dos Campeões da Europa de 1997.

Koehler ainda ajudou a Alemanha a vencer a Euro-1996.

Depois de mal desempenho como técnico, Koehler se tornou diretor esportivo do VfR Aalen.

Klaus Augenthaler
Augenthaler se aposentou um ano depois da Copa do Mundo. Assumiu então o cargo de treinador de futebol das categorias de base do Bayern de Munique.

Tentou a carreira de treinador, mas não obteve muito sucesso. Agora Augenthaler é apresentador de rádio pelo canal Bayern 1 na Alemanha.

Guido Buchwald
Buchwald jogou no Stuttgart até 1994. Depois se transferiu para o Urawa Red Diamonds do Japão. Antes de encerrar sua carreira, Buchwald voltou para a Alemanha e jogou pelo Karlsruher, onde se aposentou em 1999.

Depois de treinar o Urawa por dois anos, voltou para a Alemanha e treinou o Alemannia Aachen. Buchwald foi demitido meses depois devido aos fracos resultados da equipe.

Thomas Berthold
O lateral direito da Alemanha se transferiu para o Bayern de Munique um ano após a Copa do Mundo. Em 1993, Berthold jogou pelo Stuttgart e terminou sua carreira pelo schwabens.

Berthold agora está envolvido em trabalhos de caridade com crianças de rua na América do Sul.

Thomas Haessler
Após a Copa do Mundo, Haessler se transferiu para a Juventus, mas um ano depois o meio-campista foi comprado pela Roma.

Na Roma, Haessler jogou 88 partidas e depois voltou para a Alemanha para defender o Karlsruher. Depois de passagens rápidas por Borussia Dortmund, 1860 Munique e Áustria Salzburg, Haessler encerrou sua carreira em 2004.

Atualmente é treinador técnico do Colônia, clube em que iniciou sua carreira.

Lothar Matthaus
O capitão da seleção alemã na Copa da Itália, eleito melhor jogador do mundo no mesmo ano, jogou pela Inter de Milão até 1992.

Voltou para a Alemanha e defendeu o Bayern de Munique por oito anos. Depois disso foi jogar nos Estados Unidos, pelo NY/NJ Metro Starts.

Como treinador, Mathaus rodou o mundo todo, inclusive no Brasil, onde teve uma passagem rápida pelo Atlético Paranaense. Agora o sempre polêmico Mathaus trabalha como técnico do Maccabi Netanya de Israel.

Pierre Littbarski
Littbarski participou das copas de 82 e 86 antes de vencer a Copa do Mundo da Itália.

Após a copa, Litti continuou no Colônia. Depois, se transferiu para JEF United do Japão, onde encerrou sua carreira em 1997.

Como treinador, venceu duas vezes a liga japonesa pelo Yokohama. Desde novembro de 2008, Littbarski treina o desconhecido Vaduz de Liechtenstein.

Rudi Voeller
Voeller continuou na Roma depois da Copa do Mundo. Em 1992 se transferiu para o Olimpique de Marseille e depois para o Bayer Leverkusen, onde encerrou sua carreira.

Em 2000, Voeller assumiu o comando da seleção alemã e levou a desacreditada seleção à final da Copa do Mundo, perdendo a final para o Brasil.

Desde 2005, Voeller trabalha como diretor esportivo do Bayer Lerverkusen.

Juergen Klinsmann
Assim como Mathaus e Brehme, Klinsmann jogou pela Inter de Milão após a Copa do Mundo.

Em 1992 se transferiu para o Mônaco. Depois teve uma ótima passagem pelo Bayern de Munique e encerrou sua carreira pelo Tottenham da Inglaterra.

Assumiu a seleção alemã em 2004 e junto com seu assistente técnico Joachim Low, levou a Alemanha ao terceiro lugar na Copa do Mundo de 2006.

Agora treina o Bayern de Munique, onde tenta levar a equipe da Baviera de novo ao título da Liga dos Campeões da Europa.

2 comentários:

Mr. Voelcker disse...

Parabéns maurício, baita reportagem!

Kléber disse...

Fantástico trabalho no blog e mais fantástico ainda sabermos o que fazem esses grandes ídolos. Illgner, Hassler e Littbarski são meus preferidos, pois eram atletas do 1.FC Köln, minha equipe de coração, mas como não ser fã dos outros monstros do futebol?
Parabéns pelo blog!!!