segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008

Até quando Jens Lehmann ?

Aparentemente Jürgen Klinsmann e seu assistente técnico Joachim Low acertaram quando promoveram Jens Lehmann a titular da seleção alemã na Copa de 2006.

O goleiro na época com 36 anos fez belas atuações, e de quebra defendeu dois pênaltis contra a Argentina nas quartas-de-final da competição.

Após a Copa do Mundo, Joachim Low promovido a técnico da seleção, deu declarações em que dizia que Lehmann seria o goleiro da Nationalelf na EuroCopa de 2008.

Infelizmente Lehmann não foi bem na temporada 2006-2007, e pior, na atual temporada amarga a reserva do irregular goleiro Almunia.

“Não podemos aceitar que a seleção alemã que sempre teve os melhores goleiros do mundo, tenha um goleiro reserva na sua própria equipe”.

A declaração de Oliver Kahn não foi mais uma daquelas declarações apenas para causar confusão com seu eterno rival Jens Lehmann. Kahn naquele momento representava boa parte da imprensa alemã e dos torcedores da Nationalelf.

Low apressou em tentar resolver a situação. Chamou Lehmann e disse que confiava nele, mas exigiu que ele arrumasse uma equipe para jogar, ou se não perderia o lugar de titular da seleção.

Lehmann aparentemente tinha entendido o aviso do comandante e começou a arrumar suas malas para deixar o Arsenal. Manchester City, Wolfsburg e Dortmund foram os times que estiveram próximos de contratar o goleiro. Michael Zorc, dirigente do Dortmund, chegou até a anunciar a contratação do veterano goleiro, que logo no outro dia foi desmentida.

A desculpa de Lehmann para ficar no Arsenal mesmo tendo que amargar a reserva foi que sua família estava acostumada com a vida em Londres, e que seria ruim se mudar para a Alemanha apenas por seis meses devido a EuroCopa.

Depois da justificativa ficou claro para mim que os dias de Lehmann na seleção alemã tinham acabado. Lehmann tem todo o direito de preferir ficar com a família ao invés de servir a seleção, é aliás uma grande prova de amor por seus familiares.

Ao mesmo tempo, a Alemanha necessitaria de um goleiro com uma postura mais profissional diante do desafio da Alemanha de conquistar a Eurocopa.

Low infelizmente perdeu a grande chance de demonstrar que a Alemanha tem um comandante forte. Na primeira convocação pós justificativa de Lehmann, o técnico da seleção alemã não só convocou Lehmann, como deu a ele a posição de titular.

A atuação de Lehmann foi patética. Se não fosse a Áustria uma seleção tão fraca, a Alemanha poderia ter terminado o primeiro tempo da partida tomando uma goleada histórica devido as falhas bizonhas de seu camisa 1.

Todos na Alemanha questionaram a atitude do técnico que nada disse a respeito após a partida.

No momento não podemos discutir se quem assumirá a camisa número 1 da Alemanha na Euro será Hildebrand, Encke ou Adler. Infelizmente ainda temos que esperar que Low cumpra sua palavra e dê aos melhores goleiros alemães, e que são titulares de suas equipes, a camisa número 1 da seleção.

Não se trata aqui de esquecer o passado de Lehmann e tudo que ele fez pela seleção. Se trata sim em querer o melhor para seleção alemã.

A Alemanha merece isso.

3 comentários:

Arthur Virgílio disse...

Nos ultimos anos o Lehman veio sendo mais importante, inclusive para seleção. O Kahn fala muito e quer pôr a responsavilidade no concorrente. O fato é que a seleção alemã tem que buscar um novo goleiro.

kakaroto disse...

cara e o seguinte o Adler está arrebentando e merece sem duvida a camisa numero 1 da alemanha

Empédocles disse...

Adler é um ótimo goleiro. Na minha seleção ele é titular.

Entretanto, não creio que Lehmann esteja tão mal assim como dizem. Tanto que está jogando as recentes partidas do Arsenal como titular.

Eurocopa... ainda deixaria o Lehmann. Após ela, Adler com certeza.